domingo, fevereiro 27, 2005

 

Drugs are cool - the CIA isn`t

.
A navegar pela Kids Anti-Drug Page da CIA, dei de caras com este lindo banner que não resisti a roubar (se virem no telejornal que um missil "acidentalmente" atingiu uma casa na margem sul do Tejo, já sabem o que foi).




Aí está, pessoal, a versão americana de abordagem pedagógica às drogas: "get high on intelligence"! How the hell am I supposed to get high on intelligence?? Perguntei a um monhé do Bairro Alto que me ofereceu haxixe se me "orientava uma beca de inteligência". O gajo disse-me que arranjava xamon, erva, branca, ácidos e comprimidos, mas para inteligência eu teria que esperar uns dias pois foi apreendido pela GNR um contentor disso vindo de Amesterdão e ainda não tinham reposto os stocks". Frustrado, limitei-me a enrolar um charro com uma página do "Natureza do Espaço e do Tempo" de Stephen Hawking. Uma boa leitura, mas uma péssima mortalha.

Reparem ainda nas mensagens subliminares do cartaz: as duas personagens principais aparecem de óculos (porque quem tem óculos É necessariamente inteligente, se repararem o Santana Lopes nunca os usava, excepto quando discursava ao país a anunciar medidas disparatadas). Quase todos têm o queixo apoiado na mão, com ar pensativo (mesmo que estejam a imaginar-se em cenas de bacanal com a Christina Aguillera e três cavalos de corrida, quem apoia o queixo para pensar É inteligente). Por outro lado, é curioso sublinharem a questão da inteligência num país onde a maioria da população não consegue apontar o Canadá num mapa do mundo.

Sendo que a inteligência é tão rara (e certamente deve atingir preços de rua exorbitantes), e possivelmente perigosa (não querem ficar como os tóinos da imagem, pois não?) vejo-me forçado a criar o meu próprio banner...



|

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

 

If men ruled the world

(Nunca coloco emails que recebo em posts, mas este vale bem a pena!)

Nodding and looking at your watch would be deemed an acceptable response to "I love you."

Hallmark would make "Sorry, what was your name again?" cards.

When your girlfriend really needed to talk to you during the game, she'd appear in a little box in the corner of the screen during a time-out.

Birth control would come in ale or lager.

The funniest guy in the office would get to be CEO.

"Sorry I'm late, but I got really wasted last night" would be an acceptable excuse for tardiness.

At the end of the workday, a whistle would blow and you'd jump out your window and slide down the tail of a brontosaurus and right into your car like Fred Flintstone.

It'd be considered harmless fun to gather 30 friends, put on horned helmets, and go pillage a nearby town.

Lifeguards could remove citizens from beaches for violating the "public ugliness" ordinance.
Tanks would be far easier to rent.

Instead of beer belly, you'd get "beer biceps."

Instead of an expensive engagement ring, you could present your wife-to-be with a giant foam hand that said, "You're #1!"

Valentine's Day would be moved to February 29th so it would only occur in leap years.

St. Patrick's Day would be celebrated every month.

Cops would be broadcast live, and you could phone in advice to the pursuing cops. Or to the crooks.

Two words: Ally McNaked.

Regis and Kathie Lee would be chained to a cement mixer and pushed off the Golden Gate Bridge for the most lucrative pay-per-view event in world history.

The only show opposite Monday Night Football would be Monday Night Football from a Different Camera Angle.

It would be perfectly legal to steal a sports car, as long as you returned it the following day with a full tank of gas.

Every man would get four real Get Out of Jail Free cards per year.

When a cop gave you a ticket, every smart-aleck answer you responded with would actually reduce your fine.As in:
Cop: "You know how fast you were going?"You: "All I know is, I was spilling my beer all over the place."Cop: "Nice one. That's $10 off."

Telephones would automatically cut off after 30 seconds of conversation

|

domingo, fevereiro 20, 2005

 

Sim, estou meio aparvalhado, eu sei...

.
Chegou a Esquerda, hurra!
Uma figura a cavalo surge do nevoeiro, e não é D. Sebastião na sua montada, mas o Sócrates e o Diogo Infante!
Viva Sócrates! Viva Platão! Viva Aristóteles! Viva o gajo do café do meu bairro que tem a teoria de que o Zé Peseiro tem um contrato com Satanás e que se virmos bem até tem cascos em vez de pés!
Viva Louçã, seja das Caldas ou da Companhia das Indias!
Viva os Jerónimos desta vida! Viva a torre de Belém, o marquês do Pombal e o busto de bronze do Sá Carneiro decepado na Praça do Areeiro! Viva!
Venha a Esquerda, hurra!
Venha a ganza importada da Holanda em saquetas hermeticamente fechadas e a ervusca cultivada nas herdades do Alentejo que o povo não pode ter a sua soberania psicotrópica dependente da capacidade de armazenamento do cú de monhés contrabandistas!
Venha o subsídio para plantar e coçar os tomates, venha! Venham as salas de chuto, de murro e de joelhada nos entrefolhos! Venha o Freitas do Amaral, esse ganda maluco! Venham as feiras freak e concursos para ver quem consegue aguentar maior peso em guizos e piercings espalhados pelo corpo, venham as festas da mangueira na baixa lisboeta, venham os cupões "vale 1 aborto grátis" oferecidos com a compra da Vogue, venham, venham, venham todos!!
Chegou a Esquerda, hurra!


Santana, demonstrando aos seus seguidores como devem segurar a arma de modo a cometer suicídio colectivo

|

sábado, fevereiro 19, 2005

 

The Pombo Report

.
Aproveito a popularidade do filme Kinsey, sobre a história do famoso pornólogo norte-americano que nos anos 50 elaborou um enorme relatório sobre os hábitos sexuais dos seus compatriotas, para divulgar publicamento o RELATÓRIO POMBO, sobre a mesma temática.


Relatório Pombo Sobre a Sexualidade dos Portugueses
19 de Fevereiro de 1956
--.--

Por Pombo Incontinente

Conclusão 1 e Única:

Quem não lê o blogue Pombo Incontinente & Piriquita Indigente é paneleiro.*


* Sem qualquer ofensa para os leitores homossexuais que frequentem este blogue (nós sabemos que vocês andam aí). Para conhecerem a nossa opinião sobre termos como "paneleiro", "panilas", etc., cfr. Post de 8 de Fevereiro de 2005. Aliás, hoje entrou no nosso blogue um gajo vindo do google pesquisando as palavras "Sócrates é paneleiro"... Os nossos leitores são ou não os melhores que há??

|

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

 

Vem aí a Judite (escondam-se ou ponham uma musiquinha ambiente)

.
De onde virá esta mania de adulterar os nomes das nossas forças policiais de forma a tornarem-se nomes de mulher? Porque chamamos à PJ a "Judite" (que eu imagino como uma gaja magra e esquálida, evangélica, que vive com 8 gatos e de ovários estéreis--ela, não os gatos), e à GNR a "Geninha" (diminutivo de Eugénia, que evoca uma imagem de moça suburbana com os quilitos a mais encalhados num fato de treino azul da feira e que gosta de bucho da Beira Baixa).

Será o eterno fetiche por mulheres de uniforme policial, mais parafernália associada (no limite, até propiciaria equívocos interessantes, do tipo "Ontem apareceu-me a Geninha lá em casa, f***-me todo!").

E porque não estender essas designações femininas a outras áreas da administração, do género de:

A EMEL ficaria Amélia.
A ANA ficaria Raquel Alexandra (só para despistar)
À PT chamarmos-iamos... hmmm bom, se calhar não é boa ideia.

|

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

 

Eu digo-vos onde enfiar as vossas lições de humildade

.
Existe toda uma retórica paternalista construída à volta da ideia de os fracassos na vida constituirem lições de humildade, meios pelos quais a vida, o destino, Deus, o Grande Berlinde, consoante as versões, nos fazem apercebermo-nos da nossa pequenez.

Se um avôzinho de 70 anos te dá um baile no golfe e depois faz questão em comentar “Achei-te um bocado em baixo de forma. 30 anos, sabes como é, a idade não perdoa”, isso é uma lição de humildade.

Se o teu marido te troca por uma gaja mais nova e de design mais aerodinâmico e user-friendly, isso é uma lição de humildade.

Se perdes o emprego, a família, os teus amigos mudam de passeio quando te vêem na rua e acabas como um ridículo alcoólico a viver debaixo de um viaduto tendo por companhia uma família de ratazanas às quais já tratas pelo nome e com quem discutes Schoppenhauer, isso é uma lição de humildade.

Ora, quem disse à vida que nós queríamos lições de humildade?? Sinceramente não vejo qual é o mal em poder viver de nariz empinado, crendo-me o gajo mais fantástico à face da Terra. Parece-me até um plano de vida extremamente válido!

Porque é que o José Mourinho nunca tem “lições de humildade” e eu tenho?? Porque é que eu, que sou mais esperto, mais alto, mais belo, mais interessante e sobretudo mais humilde que esse totó, porque é que EU não tenho direito a ser convencido, sem que venham com lições de humildade (aliás, totalmente desnecessárias, dado eu ser tão fantasticamente humilde, tão maravilhosamente modesto)??

Porra, pá!

|

terça-feira, fevereiro 15, 2005

 

Qualquer dia apanhamo-lo na tourada

.


Este fim de semana, Francisco Louçã abriu as portas da sua casa ao Expresso. A Nação tremeu de choque e desapontamento: não só Louçã tem uma filha-para-atirar-à-cara-do-Paulo-Portas, como não é gay, travesti ou swinger - vive numa relação estável de mais de duas décadas com uma obstetra (leram bem, obstetra, não abortista) da Maternidade Alfredo da Costa, e tem empregada doméstica (ao qual eufemisticamente refere como "uma senhora que vem cá duas vezes por semana dar uma ajuda na limpeza" - este tipo tem ou não jeito para as palavras??). E mais!! Horror! Pânico! Afirma não se sentir fascinado pelas drogas leves, mas já um bom charuto (!!!) é uma história completamente diferente! Só faltava ter mostrado as pantufas de breloques e a caneca de bom pai de família com a águia do Benfica!

Francisco, como hei-de dizer-te isto? Eu e o povo além de Futebol, Fado e Fátima, gostamos dos nossos líderes de extrema-esquerda bizarros! TU ATÉ ESSE DIREITO NOS NEGAS??

Tens a certeza que não tens qualquer coisa altamente não-burguesa para nos mostrar? Um fétiche por dedos de pés? Um vício de cera de móveis? O número de telefone do Freitas do Amaral (gravado no telemóvel como "Diogo Maluko")... QUALQUER COISA???!!!

|

quarta-feira, fevereiro 09, 2005

 

Quer ser beatificado (mediante leves prestações mensais de €37,99)? Pergunte-me como!

.
O Papa João Paulo II entra para a história como o pontífice que mais santos criou, quem sabe se numa lógica de "I`ll scratch your back so you`ll scratch mine". Se há santos controversos, outros há que merecem o apoio massivo da cristandade. Vejamos alguns processos que se encontram bem encaminhados na lista de espera do Departamento de Recursos Humanos do Vaticano:

Posted by Hello


José Faustino, farmacêutico português que, após ter uma revelação divina (viu inscritas numa embalagem de medicamentos as palavras "Deus: o remédio para as suas insónias". Ao colocar os óculos, reparou que a caixa dizia "Morpheus: o remédio para as suas insónias", mas nesse momento recebeu um toque de número anónimo que ele acreditou ser o ser supremo), assumiu a missão de pré-furar todos os preservativos que vendia na farmácia, iniciando a sua cruzada contra a fornicação juvenil.
É claro que os críticos afirmam que ele tinha um contrato com a Clínica de Abortos Conchita Suarez, de Huelva, que lhe pagava para discretamente introduzir um panfleto em cada saquinho com os preservativos furados que vendesse, mas são más línguas às quais o Vaticano não atribui crédito.

Há ainda Patxi Ubarretetxe, advogado de Pamplona que decidiu deixar tudo para calcorrear o mundo a pregar aos pobres, sem pedir nada em troca. A sua carreira de pregador terminou abruptamente quando, enquanto pregava numa de comunidade de hippies da provincia mexicana da Baja California, martelou com toda a força um dedo, que gangrenou, conduzindo à sua morte, mas não sem um prolongado martírio, pois os hippies, na enfermaria improvisada, tinham a tocar continuamente os greatest hits dos ABBA.

E, last but not least, a vigarista profissional Sheyla Papolomonikos, que vendeu o Basílica de São Pedro e edifícios adjacentes a um magnata saudita no eBay. Rezam as lendas que o Papa mantém-no a ele e à sua família sequestrados nas catacumbas, desde que eles lá se dirigiram em 1985 para tomar posse. O seu american express gold tem servido para financiar várias obras da Igreja, tais como o Golf & Country Club dos cardeais e os vários conventos femininos de regime aberto em Amesterdão.
Quanto a Sheyla, teve mais tarde, em sonhos, uma visão do Paraíso dos Bem-Aventurados. Apesar de familiares e amigos assegurarem que o Paraíso vislumbrado por Sheyla era estranhamente parecido com a Quarteira, ela tem feito fortuna a vender esquemas de time sharing para pecadores inverterados.

|

terça-feira, fevereiro 08, 2005

 

Orgulho Hetero ou A História do Gajo-que-não-sabia-como-comportar-se-de-forma-politicamente-correcta

.
Porque é que o vocabulário masculino se encontra tão povoado de metáforas relacionadas com a homossexualidade? E porque é que as usamos inadvertidamente sempre que—sem nós sabermos—existe um gay no grupo?

Um tipo vai para um bar com um grupo de amigos, mais uns quantos amigos de amigos, entre estes últimos encontrando-se um homossexual daqueles que não saltam à vista e ninguém teve a decência de vos prevenir antes (é claro que se andassem devidamente sinalizados, tudo seria mais fácil). A coisa inevitavelmente passa-se assim:

POMBO (no meio da conversa): Então pá, ainda não tinha comentado, mas esse cortezinho de cabelo é um bocado abichanado!

(neste momento um amigo meu que sabe arregala os olhos)

POMBO: O que foi, pá? Porque é que tás assim? Diz lá, meu, deixa-te de paneleirices!!

(todos param de falar e olham-me com o mesmo ar do “já te calavas!”)

POMBO: O que é se passa convosco esta noite?? Vão mas é levar no cú!

Mais tarde, algum dos meus amigos me confidencia à parte “Pombo, olha lá as palavras que usas. O X. é homossexual”. Eu coro e à primeira oportunidade tento compor as cenas, indo falar com o gajo com a subtileza politicamente correcta que é meu apanágio:

POMBO: Eh pá, aquela cena do “abichanado”, pá, tu não levas a mal, pois não? É uma expressão que nós homens usamos… Bom, é claro que tu sabes isso, também és homem como a gente, apesar de, pronto, de seres… Enfim. Portanto quando nós homens heterossexuais chamamos uns aos outros “paneleiro” não é no mau sentido, não é como ofensa… Quero eu dizer, eu não quis dizer que ser paneleiro seja ofensa, não vejo como uma coisa má, portanto dizemos paneleiro no bom sentido, num sentido carinhoso… Bom também não demasiado carinhoso, porque carinhos em excesso é um bocado apaneleir… Hum… Bom, tu percebes!

|

sábado, fevereiro 05, 2005

 

Juro que não estou doido!

.
Não sei se será seguro dizer isto aqui, nem sei se será o meu último post…

O meu telemóvel decidiu tomar conta da minha vida. Tudo começou porque troquei de telefone há uns tempos e quando fui à procura de nomes na lista, vi que haviam sido apagados (e não, não eram apenas de ex-namoradas psicóticas, mas de amigos e contactos importantes). Perguntei aos gajos da nokia o que se passava, e disseram-me que provavelmente esses números estariam na memória do telemóvel antigo, e não na do cartão…

São desculpas esfarrapadas, não acredito neles. Mas o meu telemóvel não se ficou pela campanha de apagamento sistemático de toda a minha vida… No outro dia, ligou sozinho para a telepizza e encomendou uma pizza familiar siciliana, o que me deixou extremamente desconcertado, até porque ele tinha a obrigação de saber que odeio anchovas. Enviou mensagens em meu nome a anunciar o meu suicídio a todos os meus amigos e agora enquanto eu tenho que provar a um batalhão de psicólogos e assistentes sociais que sou um gajo perfeitamente feliz, ele vai sair com a minha namorada (no outro dia até lhe ofereceu lingerie e o mais grave é que o sacana acerta com os números).

Ele está em cima da mesa, com uma luzinha amarela a piscar, com ar velhaco. Ele sabe que eu me apercebi dos planos dele. Tenho um martelo na mão. Vou fazer o que devia ter feito há muito tempo atrás… Se eu não postar nada em cinco dias, liguem para a linha verde da TMN.

|

quarta-feira, fevereiro 02, 2005

 

Um reggae para Santana Lopes

.

Santana Lopes foi visto na Etiópia, no festival "Africa Unite!", em homenagem a Bob Marley, onde deu a conhecer o seu novo single. O sucesso foi instantâneo.




No elections, no cry
No elections, no cry

'Cause I remember when we used to sit
In the government couch in `Bento
Oba, ob-serving the cavaquists
As they would mingle with the good people we meet
Good friends we have had, oh good friends we've lost along the way
In this bright future you can't forget your past
So dry your tears I say

No elections, no cry
No elections, no cry
Oh Little Portas don't shed no tears
No elections, no cry

Said, said, said I remember when we used to sit
In the government meet`s in Bragança
And then Bagão would make our wallets light
Anti-freedom of press conspiracy burnin' through the night
Then we would cook some stupid idea
Of which we`d share with you

My Figueira da Foz is my only option now
So I've got to push on through
But while I'm gone...

Ev'rything's gonna be alright
Ev'rything's gonna be alright
Ev'rything's gonna be alright

So, no Sampaio, no cry
No, no Marcelo, no cry
Oh, little Sarmento, don't shed no tears
No election, no cry



|

terça-feira, fevereiro 01, 2005

 

A dieta PCP

.
Jerónimo de Sousa quer reduzir peso da direita no Parlamento

Ó Jerónimo, nós já tentámos isso, lembras-te? Os gajos pura e simplesmente recusam-se a fazer dieta. Da última vez que surgiu essa ideia o Narana Coisseró até montou um negociozão a traficar chamuças para o hemiciclo, passando pelos detectores da portaria com elas enfiadas nas boxers. O Almeida Santos, na altura até deu instruções para que os guardas procedessem a revista integral às cavidades corporais de todos os vendedores de Herbalife que quisessem entrar no Parlamento, pelo que eles recusam-se a ir lá (também fez isso quanto às testemunhas de Jeová, mas mesmo assim eles continuam a lá ir, tatuando na nádega "Maldito aquele que tocar com o músculo viril, a mão ou qualquer brinquedo, com ou sem pilhas, no orifício que o Todo Poderoso quis destinado à saída das imundices. Isaías, 12:24", o que motivou muitos pedidos de objecção de consciência por parte dos guardas da entrada).

|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?