segunda-feira, novembro 28, 2005

 

O inevitável regresso do Enxoval (tenham medo! Muito medo!)

.
Se és mulher, a quadra natalícia traz consigo duas certezas essenciais:

1) Não vais conseguir vestir aquelas calças giríssimas que te compraram tendo em vista as tuas medidas tal como elas eram duas semanas antes do dia de Natal;
2) Vais receber prendas "para o enxoval".

Mas o que raio é o ENXOVAL?
A palavra "enxoval" constitui uma evolução, por aglutinação fonética da expressão "enche o baú". Toda a mulher tem um baú cheio de rendinhas, toalhas turcas e serviços de chá oferecidos por familiares sem a mínima ideia daquilo que são os seus gostos pessoais e assim se safam airosamente com a cena do sapatinho, oferecendo algo "para o enxoval", que é como quem diz, para um dia em que se casar, e cumprir o seu papel de leal zeladora do lar conjugal e reprodutora da espécie ditado por Deus Nosso Senhor, ter já algum recheio para colocar no recém-adquirido T1 na Brandoa.

Elas sempre olharam de soslaio, quando os rapazes da família recebiam o barco dos piratas da playmobil ou um action man e elas encontravam o sapatinho recheado de lindas rendinhas e terrinas das Caldas para o dia em que eventualmente dessem o nó.

E nós ríamos. E continuamos a rir. Até ao dia em que tomaremos a irreflectida decisão de ir viver com uma delas. Quando o baú do enxoval se abre, acreditem, meus amigos: o homem deixa de rir.

Experimentem explicar à vossa mais-que-tudo que as toalhas de mesa com rendinhas e breloques em que a tia-avó delas trabalhou durante 10 anos dão ao apartamento que vocês sonharam com o design mais vanguardista, um ar totalmente bimbo. Especialmente se a tal tia-avó tiver morrido há duas semanas... De exaustão... Sentada na cadeira de baloiço, ainda com a agulha na mão, no instante em que deu o último retoque ao atoalhado, para adicionar um pouco de melodrama à coisa.
Experimentem explicar-lhe que as toalhas turcas cor-de-rosa com as vossas iniciais bordadas no rebordo à mão pela prima dela solteirona cuja face pica mais que a vossa barba de uma semana, expliquem-lhe que, se em Santa Marta de Penaguião essas toalhas fariam grande furor, em Lisboa tornar-vos-iam eterno alvo de chacota dos vossos companheiros que se dirigissem à casa de banho para escoar a cerveja que beberam na vossa companhia, numa noite de bola na tv e suecada na mesa.

Experimentem tentar explicar-lhes isso, e auguro-vos uma noite de núpcias passada a descobrir o vasto leque dos canais que apanha a televisão do quarto do hotel.

Não, meninas, não se assustem... O Pombo não está a pensar dar o nó! Simplesmente, porque consigo pensar antecipadamente nesses problemas é que abraço com fulgor a causa da abolição imediata e incondicional do enxoval.

Quem está comigo?



<< Home
|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?