domingo, março 27, 2005

 

Alguém ponha fim a isto! Não consigo parar de rir!

.
Good late! For you want good laughing, see the Incontinent Pigeon automatic translated for English in this site!

Tradução: boa tarde! Para uma boa gargalhada, vejam o Pombo Incontinente traduzido automaticamente para inglês neste site.

O maravilhoso mundo do tradutor automático do Yahoo.com, em todo o seu esplendor, com algumas pérolas como:

"you go to lead with the fog lights that you sandpapers!" - "vais levar com as luzes de nevoeiro que te lixas!"

Chanel Coconut - Coco Chanel (pobre senhora!)

"The thing in the beginning ran well, until a type with threatening air of who almost has written in the forehead "If atrophies eaten, takes chinada" - "a coisa no inicio correu bem, até surgir um tipo com ar ameaçador, como se tivesse escrito na testa "se atrofias comigo, levas uma chinada""

"makes with that everything this is valid the penalty!" - "faz com que tudo isto valha a pena"

E A MINHA FAVORITA:

"Decrease of the Bathtub" - Baixa da Banheira

(A estranja que leia o site traduzido há-de pensar que a malta tuga se anda a injectar com o óleo das farturas! - fui agora ver o site, e esta última expressão surge como "oil of the abundances"!! Por amor de Deus, parem!! Já não aguento mais!!)

Nota: pede-se a compreensão dos utentes deste blogue para a paragem de actividades até dia 5 de Abril, tudo porque o Pombo Incontinente é um sacana dum marialva que vai passear para Cuba deixando os seus leitores na chuvosa pátria temporariamente sem este serviço público... A não ser que a Piriquita se chegue à frente, o que só lhe ficaria bem!

|

sexta-feira, março 25, 2005

 

O Pombo está em guerra

.
19 de Março: Nuno Markl, um dos pais espirituais do Pombo Incontinente, numa entrevista dada ao 24 Horas, referiu que o verdadeiro Macho Latino não deveria ser identificado com Zezé Camarinha.

21 de Março: Zezé Camarinha, num programa da tarde da SIC, reagiu à afirmação sobre a sua virilidade, à boa maneira tuga, chamando Nuno Markl de roto.

22 de Março: por todo o Algarve, somaram-se perseguições levadas a cabo por tipos de bigode e camisas abertas no peito com colarinhos largos à anos 70 a todos os que ouvem Nuno Markl na antena 3 ou que possuem o livro do "Homem que mordeu o cão".

23 de Março: A tensão avoluma-se quando começam a partir de Lisboa autocarros com mulheres-bomba (sobretudo bardajonas do Leicestershire com cintas de dinamite) de forma a atrair Zezé e explodi-lo pelos ares. Sem sucesso. Zezé Camarinha refugia-se com um pequeno grupo dos seus mais fieis seguidores numa gruta da serra de Monchique, onde abre uma boîte de alterne e de onde comanda as operações.

24 de Março: O Pombo Incontinente, seguidor devoto da Igreja Marklista dos Cinco Dias Úteis, declara unilateralmente guerra a Zezé Camarinha (notícia que este último recebeu com grande preocupação), e dirige-lhe a seguinte mensagem:

Zezé, temos o teu ursinho de peluche Tobias algures, em nosso poder. Entrega-te, vê se arranjas um emprego e já agora rapa-me esse bigode, senão...


|

terça-feira, março 22, 2005

 

Para mais informações, aconselhe-se com o seu médico ou empregado da secção de higiene e saúde

.
Aproveito para saudar a promessa de José Sócrates de permitir a venda de medicamentos em supermercados.
Poderemos até estar prestes a assistir a uma nova era de promoções realmente úteis, tais como a oferta de uma embalagem de guronsan na compra de mais de duas garrafas de vodka ou 4 six-packs de cerveja (ou vice-versa), ou a oferta de uma embalagem de prozac com a compra de um mini-candeeiro de gaiola para hamster (que raio de pessoa é que compra um mini-candeeiro de gaiola para hamster... ou cria hamsters??)

E imaginem só o cenário:

Ele aguarda calmamente, com a senha na mão, vendo passar os números no placard luminoso, pensando em como o Sócrates tinha tido uma ideia porreira em liberalizar a venda de medicamentos isentos de receita nos hipermercados.

VENDEDORA (recém-transferida da secção de pescado): 57! Número 57!
CLIENTE (empunhando a senha): Sou eu, sou eu!
VELHOTA: Ó fash`avor! Eu sou o número 55!
VENDEDORA: Tenha paciência, minha senhora, chamámos três vezes e não ouviu, vai ter que tirar outra senha!
VELHOTA: Mas não está a perceber, eu preciso dos meus remédios agora!!
VENDEDORA (enquanto a velhota começa a espumar da boca e a cuspir bílis, sendo removida pela empilhadora do hipermercado): Ora, vá lá ver, diga lá o que precisa, meu anjo.
CLIENTE (tirando a lista de compras): Ora bem, eu quero duas embalagens de viagra, vinte miligramas de rophinol, 15 de methanfetamina, 6 ampolas de LSD-25 e 20 miligramas de morfina.
VENDEDORA: Hmm, há um problema com a sua encomenda, meu bem...
CLIENTE: Ai sim?
VENDEDORA: Pois. É que viagra está sujeito a receita médica, não podemos vender aqui. Quanto ao resto, deseja um saquinho?

|

sábado, março 19, 2005

 

Porque não gosto das meninas da Zara

.
Já cá escrevi sobre os tipos que andam com autocolantes a dizer "bebé a bordo" no carro, sobre operadores de telemarketing e sobre as pessoas que vêem toda a desgraça - dos outros - como "lições de humildade", entre outras. Contudo, não me sentiria completo se não revelasse outra das minhas pequenas obsessões de estimação: as meninas das lojas de roupa espanholas.
Jovens suburbanas por excelência, característica detectável pelo uso profuso de expressões como "tipo..." entre cada duas palavras, ou por usarem "derivado a" em vez de "devido a", respondem que trabalham "na área da moda" quando questionadas sobre aquilo que fazem, imaginando-se umas verdadeiras Coco Chanel por terem um part-time a dobrar camisas, para pagar o curso de sociologia aplicada à plantação de beterraba açucareira no pólo de Vale de Milhaços da Universidade Livre Doutor Edson Mugambe (por correspondência) ou a gasolina do carro do namorado de boné e Honda Civic com três tubos de escape e luzinha azul de presença- o qual não percebe porque é que o Governo não lhe arranja emprego, pelo que se vê forçado a viver à custa da namorada, o que lhe causa algum incómodo.

Quando não estão juntas a contar os últimos mexericos, enquanto a fila de clientes à espera de atendimento atinge a entrada do centro comercial, dão assistência aos fregueses com uma atitude de "Oh tu és homem, é claro que não compreendes a diferença entre um paréu e uma encharpe. Bora para trás da cortina do provador dar uma queca?" ou então "Eu cá sou muito profissional e prestável, não o deixo entrar na loja sem perguntar 5 vezes "precisa de ajuda?". Depois de escolher essas calças, bora para trás da cortina do provador para dar uma queca?". Bom, talvez esta última parte seja só a minha imaginação, entuasiasmada com os traços característicos de artista porno fracassada que a maioria das meninas ostentam (corpo escultural/cara medonha).

Mas o que mais me irrita, de longe, é a letrinha "redondinha e fofinha" (a que uma amiga minha se refere como "a letra Bershka", mas como eu obviamente não frequento a Bershka...), que atinge o seu auge delico-doce quando colocam sobre os iis, em vez dos respectivos pontos, bolinhas (ou até corações, ugh!). Todas têm o mesmo tipo de caligrafia porque, creio, existe uma espécie de diabólico curso de formação avançada de empregadas de lojas espanholas, onde o treinam de sol a sol, sendo que apenas aquelas com uma letra mais redondinha e floreada conseguem atingir o cume, a suprema honra e orgiástico êxtase de poder estar atrás duma caixa da Pull & Bear.

É qualquer coisa como:



Deixo então uma mensagem para tais meninas e quaisquer outros cultores da "Letra Berska":


|

quarta-feira, março 16, 2005

 

2005 Odisseia no Chaço

.
Nas estradas portuguesas, só existe uma coisa mais interessante do que o uso que fazemos da buzina: a utilização que o bom tuga faz dos máximos, durante a noite.

Que para nós “o meu carro é o meu tanque de guerra”, já não é novidade para ninguém. A questão é que todos nós adoraríamos poder equipar essa nossa couraça bélica motorizada com o mais avançado arsenal, e como não podemos (ao que parece, os fabricantes só vendem modelos com metralhadora incorporada no tejadilho para mercados como o iraquiano e afins, desprezando a procura na Europa), usamos os faróis máximos como se fossem uma espécie de arma de raio laser, tal como quando éramos putos apontávamos às outras crianças uma pistola de plástico gritando “Pumpumpum! Tás morto!!”.

Na maioria dos casos, limitamo-nos a dar tiros de aviso, quando um tipo se demora demasiado a arrancar perante o semáforo verde ou quando algum “está com ar de quem se vai lançar à campeão” sobre nós. Um rápido feixe de máximos dão conta do recado, põem o tipo em respeito.

Mais interessante é quando algum se irrita verdadeiramente, e é então que lança um longo e ininterrupto raio de máximos sobre o pobre inimigo, como quem grita “morre, sacana, mooooorreeeeeee!!!”. Seria interessante ver a cara do condutor, se o automóvel visado explodisse com enorme estrondo após um desses “tiros” de máximos.

Se ainda têm dúvidas sobre a simbologia dos máximos na psique do condutor nacional, vejam este diálogo entre mim e a minha namorada, que é uma simpática e pacífica moça, portanto, insuspeita nestas lides de hooliganismo em quatro rodas, há duas noites atrás:

NAMORADA: Esse #@£%& está-me a dar com os máximos, já viste??
POMBO: Bom, deixa-o dar, há-de cansar-se…
NAMORADA: Os carros deviam vir equipados com máximos atrás, para poder dar-lhe troco… [!!!!] Mas espera, eheheheh! [riso maquiavélico estilo Darth Vader] Espera lá que vais levar com as luzes de nevoeiro que te lixas!!

|

terça-feira, março 15, 2005

 

Dia Europeu Sem Smileys

.
Uma praga assola a nossa sociedade. Ela começou paulatinamente, nos tempos do boom do mIRC, surgindo estranhos sinais como ":)" ou ":(" ou ainda ";)". Nesse tempo pensava-se que seria algo circunscrito a adolescentes de 15 anos tentando pitar a Miss_Daisy_69 do canal #gajas_feias_gordas_e_desesperadas_que_na_net_dizem_ser_modelos_e_gajos_a_condizer ou a meninas da caixa da Berska (o tipo de pessoa que coloca uma bolinha em lugar dos acentos nos is quando escreve à mão).

Mas a coisa espalhou-se como uma epidemia até adquirir proporções catastróficas: msn, sms, icq, blogspot, you name it, tudo se vergou à terrível força do smiley.

É por isso que eu, Pombo Incontinente, declaro unilateralmente este dia o Dia Europeu Sem Smileys e apelo a todos que apoiem esta luta.



Além da questão óbvia de em linguagem escrita não ser suposto saber-se o estado de alma de quem escreve - a não ser que o expresse, por palavras - os smileys ( :) e outras variações) têm o sério handicap de representarem rostos deitados.

Daí se infere que ":)" significa "estou demasiado bêbado/a para me levantar, mas nada no mundo me tira este sorriso idiota, apesar de, ao que creio, estar neste momento a ser sodomizado/a"

|

segunda-feira, março 14, 2005

 

O oráculo do PS (ou não...)

.
O Diogo Infante deixou-lhe as malas do lado de fora da porta por nunca o apoiar quando precisa? O Guterres liga-lhe de 5 em 5 minutos a propor amigalhaços para a presidência de empresas e institutos públicos? Não sabe onde pôr o retrato do Freitas do Amaral, porque a moldura não combina bem com os cortinados rosa do Largo do Rato? O Marcelo, esse "homem desagradável e demodé, mas tão linduuuu", voltou ao activo e promete não dar abébias??

Saiba que não há casos impossíveis... Marque já uma consulta com o:


|

quinta-feira, março 10, 2005

 

A força da FDL somos nós!

.
Estranha gente, que prefere o frio das escadinhas de pedra da faculdade ao conforto de uma cama, o clamor das vozes ao silêncio ensurdecedor do medo e do conformismo.



Às 9 da manhã estávamos lá e gritávamos. Às nove da noite continuávamos lá e gritávamos. Às 4 da manhã mantinhamo-nos lá... e gritávamos! Firmes e hirtos como uma barra de ferro.

Todos os que comigo lá estiveram são o meu orgulho. Foi uma honra que jamais esquecerei.

A faculdade de direito está aberta. Porque nós assim quisemos. Para que a Academia não esqueça ao serviço de quem está.

|

terça-feira, março 08, 2005

 

Já reparou que este blogue está mais bonito?

.
Não?... Então é porque provavelmente não está.
Mas a sério, não notam nada de diferente no Pombo Incontinente & Piriquita Indigente?? Nada mesmo?? Não, não mudámos de template... Não, também não arranjámos links novos!
Uns insensíveis, é o que são! Vocês são todos iguais, pá!!

A novidade é que agora, se virem o pequeno ícone (em forma de envelope) no canto inferior direito de cada post, podem enviar por email posts deste blogue aos vossos amigos e conhecidos. Não é fantástico??? (não precisam de responder) E perguntam vocês: porque é que haviamos de querer fazer uma coisa dessas? Sinceramente, não sei. Mas, como há gente para tudo, fica a informação.

|

segunda-feira, março 07, 2005

 

O álbum do CDS-PP

.
O secretário-geral do CDS-PP anunciou que vai enviar, por correio, o retrato de Freitas do Amaral que até agora se encontrava no Largo do Caldas para a sede do PS, depois do fundador do partido ter aceitado integrar o próximo Governo socialista.

De acordo com o amigo-beto-do-Pombo-com-cabelo-à-foda-se-e-militante-da-JP (toda a gente tem um amigo beto com cabelo à foda-se que milita na JP), a verdadeira razão que levou o partido a livrar-se do retrato de Freitas do Amaral, é porque era uma relíquia de outros tempos, a ocupar espaço que poderia ser ocupado com retratos de líderes que dizem mais ao CDS-PP contemporâneo... Como este...



|

sábado, março 05, 2005

 

O meu passaporte tem gajas nuas!

.
Fui ontem à loja do cidadão para levantar o meu passaporte de modelo novo, e tal não é o meu espanto quando me deparo, na primeira página do documento, com uma cena de bacanal lésbico, digno de uma soirée na Playboy Mansion...

Em letras pequenas, no canto inferior esquerdo lê-se "Os Lusíadas, Canto II". Ok, sigam o raciocínio: os Lusíadas são a epopeia da grande viagem dos tugas, e um passaporte serve precisamente para viajar. A ligação é óbvia. Eu percebo isso. Vocês percebem isso. Mas e os estrangeiros?? Já adivinho as piadolas dos guardas da aduana quando, daqui a menos de um mês, mostrar orgulhosamente o meu passporn à chegada a Havana (forma súbtil de fazer inveja ao pessoal, que ficará a tiritar de frio enquanto este vosso amigo irá curtir Cuba).

Mas isso não é o pior: entre machos latinos, a gente entende-se. Agora, imaginem que resolvo viajar até ao Irão ou ao Yemen (o que iria lá fazer? Sinceramente não sei, mas podia acontecer!)?? Parecendo que não, ser linxado publicamente por desrespeitar as disposições da lei islâmica aplicáveis a mamocas ao léu ou ser preso por contrabando de material erótico é um bocado chato...

(a imagem segue abaixo... Agradeçam à porcaria do Haloscan por não estar a deixar postar imagens no mesmo post com escritos)

|

sexta-feira, março 04, 2005

 

Pôr os juizes a render

.
Novo presidente do Supremo Tribunal de Justiça promete "mão firme", admitindo que nem todos os magistrados do país "rendem aquilo que deviam render".

Eis uma excelente ideia, meu caro Conselheiro Nunes da Cruz, pôr esses coirões barrigudos a render.

Não se surpreendam pois os juizes mais jovens se num belo dia lhes surgir o Presidente do STJ pelo gabinete adentro, feito proxeneta do Cais do Sodré:

NUNES DA CRUZ: Atão, boneca, como é que correu o dia por aqui?
JUIZA: Eh pá, Zé, não te esperava ver aqui hoje... Eu...
NUNES DA CRUZ: Ssshh! Diz-me só o que quero saber... Quantos?
JUIZA: Dois saneadores e uma sentença... Por favor, não me batas, ainda tenho as marcas da outra vez!!
NUNES DA CRUZ: Cabra ingrata!! Não estás a render nada! E sabes o que acontece às juízas que não rendem??
JUIZA: Chegam a conselheiras do Supremo, para aí poderem não render pacatamente no aconchego do lar, apenas pondo os pés no Tribunal uma manhã por semana, seguida de reunião do pleno à mesa dum restaurante da Baixa?

|

quinta-feira, março 03, 2005

 

Sim, tenho medo da carrinha da family frost, e depois??

.
Ele estava calmamente em casa, lendo pacatamente com o cão deitado a seus pés. Ouviu um estranho som ao longe, que se fundia no barulho dos automóveis. Não ligou, virou a página. O som foi ganhando forma até formar uma música repetitiva.
Ele engoliu em seco, uma gota de suor percorreu-lhe a testa, enquanto A Suspeita lhe surgia na mente...
O som ganhou contornos característicos, ele conhecia aquela música...

TÚNINÓNINÓNÓNI TÚNINÓNINÓNÓNI TÚNINÓNINÓNÓNI!!!

Eles estavam ali, à sua porta. Um grito desesperado soltou-se-lhe da garganta. Havia chegado a carrinha dos vendedores franchisados de gelados e congelados Family Frost, com a sua musiquinha irritante, capaz de perdurar por anos em qualquer subconsciente, para gáudio dos psicoterapêutas.



Há qualquer coisa que me assusta nas carrinhas da Family Frost... Será os tons garridos e obsessivamente alegres estilo Michael-Jackon-a-querer-parecer-o-mais-simpático-possível-para-as-criancinhas-mas-que-deve-ter-alguma-coisa-terrível-a-esconder? Será o facto de a ambiguidade da lingua inglesa me permitir suspeitar seriamente se o escopo da Family Frost não será apenas fornecer congelados para a família, mas sobretudo congelar as famílias na arca frigorífica da carrinha?

Eles vão voltar, disso tenho a certeza. A questão é quando...

|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?